Quinta-feira, dia 21 de dezembro, 22h.
Entrada Livre

O CARMO 81, em Viseu, realiza pela segunda vez este evento dedicado ao formato da curta-metragem. Este é um evento sem fins lucrativos, com entrada gratuita, que tem como objectivo divulgar e partilhar o cinema de curto formato.

Em dezembro, O Dia Mais Curto regressa a Portugal para a edição do 5º aniversário! O Solstício de Inverno, no dia 21, volta a servir de mote à grande festa da curta-metragem que, este ano, leva quase 200 filmes a 34 localidades, de norte a sul do país, incluindo os arquipélagos.

Assinalado durante todo o mês mas com grande parte das sessões concentradas a 21 de dezembro – o dia mais curto do ano devido ao Solstício de Inverno – O Dia Mais Curto vai ser celebrado em 34 localidades: Abrantes, Albufeira, Almada, Amadora, Amarante, Barcelos, Braga, Cascais, Coimbra, Elvas, Faro, Funchal, Gondomar, Guimarães, Leça da Palmeira, Leiria, Lisboa, Madalena, Maia, Matosinhos, Oeiras, Ovar, Ponta Delgada, Ponta do Sol, Porto, Sardoal, Setúbal, Tomar, Trancoso, Vila do Conde, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia, Vila Real e Viseu.

Neste ciclo de cinema, que decorre em simultâneo em vários países, a criatividade dos programadores foi desafiada e as curtas-metragens vão invadir diferentes locais de projeção, dos mais tradicionais aos mais inusitados, dando a descobrir um grande número de cineastas e as suas obras.

Programa Associado

Lingo, de Daniel Roque
Portugal / 2015 / Animação / 10’

A história de Manuel, um indivíduo que para ultrapassar a solidão e o desprezo dos outros se vai conectando às redes sociais para arranjar alguma companhia. Contudo, rapidamente vai perceber que amigos online, likes e selfies não trazem felicidade.

Limoeiro, de Joana Silva
Reino Unido/Portugal / 2016 / Animação / 5’
Portugal Film

O Limoeiro é um filme que pretende reconstruir uma personagem fictícia, através da fisicalidade de um espaço em ruína.

Campo de Víboras, de Cristèle Alves Meira
França/Portugal / 2016 / Ficção/ 20’
Portugal Film

Em Campo de Víboras, uma pequena aldeia de Trás-os-Montes, dá-se uma tragédia. Uma idosa é encontrada morta no seu jardim rodeada de cobras, enquanto a sua filha Lurdes, uma mulher de 40 anos, desaparece sem dizer nada a ninguém. Espalham-se os rumores sobre o misterioso destino desta casa.

Pedro, de André Santos e Marco Leão
Portugal / 2016 / Ficção / 20’
Portugal Film

Pedro regressa a casa pela madrugada. Antes que o jovem rapaz consiga adormecer, a sua mãe solitária arrasta-o para a praia.

Fim de Linha, de António Pinto e Paulo D’Alva
Portugal / 2016 / Animação / 11’
Agência

Fim de linha é um filme baseado em facto reais que nunca aconteceram, mas que podem vir acontecer, nunca se sabe… Qualquer realidade com a pura coincidência é semelhança.

O Caso J., de José Filipe Costa
Portugal / 2017 / Ficção / 20’
Portugal Film

Um tribunal é um teatro e a morte pode ser uma montagem. Dois polícias são acusados do extermínio injustificado de J. por um tribunal criminal. A mãe de J. é interrogada pelo advogado de defesa dos polícias, para assim esclarecer quem era o seu filho: qual era a sua profissão? Onde trabalhava? Junto ao seu corpo, foi encontrada droga e uma pistola.

Pronto, era assim, de Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues
Portugal / 2015 / Animação / 13’
Agência / RTP

“Pronto, era assim” é um documentário animado, executado em stop motion e complementado com animações 2D, realizado no âmbito da Academia RTP 3.0. A curta-metragem apresenta a história de vida de seis idosos, quatro senhoras e um casal, que sob a forma de entrevistas dão voz aos objetos que protagonizam este documentário, partilhando as suas histórias de vida em momentos fragmentados que oscilam entre o passado, presente e futuro.